CSJ - Cia de Saneamento de Jundiaí

Enquanto você navega,
m³ de esgoto estão sendo tratados.

O lodo de esgoto gerado na ETE Jundiaí é um material rico em matéria orgânica e nutrientes e por isso apresenta um grande potencial de utilização na agricultura como fertilizante orgânico. Com o objetivo de aproveitar seu potencial benéfico e ao mesmo tempo eliminar os riscos ambientais de sua utilização, a CSJ implantou um sistema de compostagem termofílica do lodo de esgoto, processo pelo qual o mesmo é misturado às podas urbanas picadas, geradas na cidade de Jundiaí, a bagaço de cana-de-açúcar, cascas de eucalipto, entre outros resíduos orgânicos, submetidos ao revolvimento mecânico e oxidação promovida por uma intensa atividade de microorganismos. Neste processo, devido a ocorrência de temperaturas acima de 55oC por mais de 30 dias, todo o material é higienizado, eliminando organismos causadores de doenças aos homens e animais, dando origem ao composto orgânico de lodo de esgoto.

Um monitoramento constante das indústrias garante baixos teores de metais pesados, permitindo um uso seguro do composto. O mesmo também é aditivado com calcário com objetivo de diminuir as perdas de amônia do processo, ajudando a evitar odores e também atração de vetores, além de enriquecer o material com cálcio e enxofre, dois micronutrientes importantes para plantas.

O lodo devidamente tratado passa a ser denominado de fertilizante orgânico composto classe D, registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) sob o no SP-80610 10000-7, como produto de uso seguro na agricultura.

O fertilizante orgânico é fornecido para paisagistas e produtores de citros, eucalipto, cana-de-açúcar, flores, café, frutíferas, árvores, flores e gramados. O uso deste fertilizante é vetado pelo MAPA em hortaliças, pastagens e capineiras, raízes e tubérculos.