Rio Jundiaí passa por processo de despoluição e melhora de classe

Em entrevista, Luiz Pannuti, diretor da Companhia de Saneamento do Município de Jundiaí sobre a despoluição do Rio Jundiaí, SP.

21 / 10 / 2019

Ouça a entrevista clicando no link abaixo:

Entrevista Luiz Pannuti, diretor da Cia Saneamento de Jundiaí.

Luiz explicou que na década de 80 começou a se falar em despoluição do Rio Jundiaí:

“O Rio Jundiaí era mais poluído que o Rio Tietê, dentro da grande São Paulo. Para quem conhece sabe que é praticamente esgoto a céu aberto”, afirmou.

Em um projeto de longo prazo, foi criado um comitê de despoluição do rio, em 1983, com parceria da indústria, estados e municípios. O diretor falou que algumas medidas para despoluir foram tomadas, como a inauguração da Estação de Tratamento de Esgosto de Jundiaí. Logo em seguida, os peixes voltaram a aparecer no rio e, em 2015, com o comitê de bacias começou a captação de água potável. Além disso, o rio que estava na classe 4 (praticamente esgoto) passou para a 3.

“O primeiro rio do Brasil a melhorar de classe”, declarou Luiz.

FONTE: EBC: Empresa Brasil de Comunicação